Arquivo da tag: Anonymous

Entendendo a Operação Satiagraha. Documentos vazados pelo Anonymous.

A mídia convencional não está dando a devia atenção ao caso, das poucas notas divulgadas pela imprensa, a maioria é superficial e alega que estes documentos já haviam vazado anteriormente. A verdade é que houve o vazamento de uma quantidade enorme de material sobre a Operação Satiagraha, acredito que ainda exista muita coisa escondida neste material, mas vamos dar uma olhada em alguns pontos para tentar entender.

Aqui a nota divulgada pelo grupo Anonymous/LulzSec junto com os arquivos (https://thepiratebay.org/torrent/6593891/Corrupt_Brazil_%28Satiagraha%29):

Protógenes Queiroz encarregado da Operação Satiagraha, uma investigação da Polícia Federal do Brasil. A investigação teve contato com lavagem de dinheiro, desvio de verbas públicas e corrupção.A investigação aconteceu por quato anos, de 2004 a 2008.

Satiagraha resultou na prisão de muitos investidores, banqueiros e diretores de bancos. A maior figura na investigação foi Daniel Dantas, um banqueiro brasileiro e financiador, fundador do Opportunity Asset Management. O grupo que liderou a parceria de setores privados internacionais que resultou na compra de uma parte significativa de empresas de telefonia brasileiras.

Queiroz foi removido da operação por não ter informado seus superiores do envolvimento do Serviço Secreto. Ele também foi investigado por colaborar com o Serviço Secreto Brasileiro através do uso de grampos telefônicos ilegais. Os arquivos completos nunca foram revelados e muitas das informações nunca foram divulgadas pelo alto nível de corrupção dentro do Governo do Brasil.

Esses arquivos contêm evidências reunidas pela Operação Satiagraha, uma operação que foi fundo na exposição do nível de corrupção envolvendo o Governo brasileiro e grandes Corporações, centralizadas em torno de Daniel Dantas e Kroll, uma corporação multinacional que tem ligações com ex-agentes da CIA , que permaneceram desconhecidas até hoje.

Apesar de Protógenes Queiroz ter dito, em uma entrevista (http://www.conversaafiada.com.br/audio/2011/08/08/protogenes-identifica-advogado-e-jornalista-da-gravacao/) após tomar conhecimento do vazamento dos documentos obtidos por Anonymous, que havia a possibilidade do envolvimento de opositores do governo na ação, numa tentativa de acelerar um golpe de Estado, este não é o caso e só mostra que o governo está temeroso em relação ao que esses arquivos podem significar.

Esses arquivos foram obtidos pela equipe Anonymous, e estão aqui agora para que todo público veja a verdadeira corrupção no Brasil. Nós não apoiamos governos ou partidos. Nós lutamos pela liberdade, das pessoas e da informação. Estamos divulgando esses arquivos para espalhar a informação e permitir que as pessoas sejam ouvidas e saibam da corrupção em seu governo.Nós os estamos revelando para dar poder à voz do povo brasileiro. Nós estamos divulgando para acabar com a corrupção que existe, e para libertar aqueles que vêm sendo oprimidos.

Nós somos Anonymous. Nós somos Legião. Nós não esquecemos. Nós não perdoamos.

Um exemplo de como os EUA tem estado envolvido nas negociações com o Escândalo do Monopólio Brasileiro. A imagem abaixo é a primeira página de um documento PDF contidas no vazamento.

Abaixo você encontrará um link para o PDF de “Quem tem dinheiro no Grupo Opportunity”, mostrando que grandes bancos internacionais investiram pesado na criação do Banco Opportunity, de Daniel Dantas.
http://satiagrahaleaks.org/leaks/948/Export/159348.pdf

Neste info-gráfico pode-se ter uma ideia de como o esquema funcionava.

Pessoas físicas envolvidas com o Grupo Opportunity.

Prova de que o BNDES teve envolvimento no esquema.
http://4aclu6ka6s7gz6st.tor2web.org/br/758/Export/4117.doc

“HUMBERTO e LUIZ EDUARDO diz em uma gravação de um diálogo sobre um possível acordo que está sendo feita entre CITIBANK e Grupo Opportunity. Para criação de uma “Supertele” com a fusão das operações da Oi-Telemar, Telemig, BRASILTELECOM e Amazônia Celular, possível com a autorização do presidente da república (décret viel, ver que esta fusão é ILEGAL) e os recursos BNDES, e a necessidade de uma reunião com a presidente Dilma Russef”

Estes são só alguns pontos, ainda deve ter muita coisa escondida nesta “caixa de pandora”.
Investigue você mesmo, não espere pela grande mídia, pq ela não vai fazer este trabalho por você. Deixe nos comentários suas contribuições sobre o caso.
Aqui tem o conteúdo completo: http://satiagrahaleaks.info/

Artigo sobre os documentos vazados: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-arquivos-da-operacao-satiagraha

Deixe um comentário

Arquivado em Comentário, Notícia

Ação Anonymous Brasil em Porto Alegre – #AcordaBrasil

Deixe um comentário

Arquivado em Vídeo

Carta de um brasileiro para o Anonymous.

“Carta ao Leitor

Qual é o seu sonho? Seu desejo, ao qual você planeja muito tempo para realizá-lo.
Se formar em uma Universidade? Em nosso país, em média de 40% da população terminam o ensino médio, e 1,6% ingressam nas Universidades.
Constituir uma família, e ter sua casa própria? O percentual de casas próprias é de 74%, um número bem elevado. Apesar desse percentual ser grande, a compra de imóveis ainda está concentrada nas faixas de renda mais altas. Com o salário do trabalhador brasileiro de quinhentos e quarenta e cinco reais (R$545), fica difícil adquirir conforto e alimentação dignos de um ser humano.

Durante nossa vida, somos formados e preparados para enfrentar inúmeras situações.
Nossos primeiros educadores são os nossos pais, que nos ensinam o essencial para a vida. São nossos verdadeiros heróis, que infelizmente recebem como recompensa dos vossos esforços R$545.

Passando pela primeira fase da vida, os nossos novos educadores são os professores. Formadores de cidadãos, que nos preparam para o concorrido mundo, são recompensados com R$ 1.527, passando por situações de humilhação, agressão, e algumas vezes de risco (massacre de Realengo).

Formados para nos proteger, temos a milícia. Policiais e bombeiros que passam por constantes riscos e se dedicam 100% para manter a ordem, ganham R$1.369,37(SP) – R$3.368,01(DF).

Os verdadeiros salva-vidas: os médicos. Praticamente os terceiros pais e mães, preocupados com a nossa saúde, são recompensados pelo seu trabalho divino com R$ 2.100,00

Para nos manter em uma sociedade coesa, temos os políticos, que criam leis e normas que indicam direitos e deveres que devem ser cumpridos pelo povo. Essas pessoas, que escrevem nossas leis, são muito bem recompensadas pelos vossos esforços com R$26.723,13 (senadores e deputados federais).

Todos os dias, em todos os países, em todas as profissões, encontraram pessoas trabalhadoras, preocupadas com o futuro. Mas, infelizmente, também encontramos a corrupção.
É esse tipo de pessoa egoísta, que apodrece a nossa sociedade.

Cada cidadão tem a liberdade de expressar o que pensa, mas as nossas lideranças que tapam os ouvidos.
Quantas vezes você não se deparou um reclamações e denuncias do povo, e as autoridades responsáveis não se pronunciavam ou fugiam do assunto?

Precisamos nos unir, assim como nossos pais e avós fizeram na ditadura militar, precisamos nos unir, para reivindicar a verdade de nossos governantes e o cumprimento das leis, pois eles só as escrevem e isso não quer dizer que estão acima delas.

Cada vez mais o povo é enganado, massacrado, e atropelado pelo poder daqueles que estão no poder.
Precisamos lembrá-los que fomos nós quem os colocaram no comando, e que também podemos tirá-los se a insatisfação for grande.
Se você pensa que não somos capazes de fazer tamanha mudança, lembre-se do que o povo, em extrema comunhão de ideais, pode fazer no passado. Relembre a Revolução Francesa, a queda da ditadura militar no Brasil, a fuga dos escravos do Egito para a Palestina.
Acredite, Nós podemos!

Nessas ultimas semanas, tem aparecido nos noticiários do mundo todo ataques a sites dos governos de vários países.
Muitos pensam que é apenas “vandalismo cibernético”, mas é uma forma de protesto que esses grupos estão fazendo.
Não tire conclusões precipitadas e muito menos acredite na mídia sensacionalista e moldada pelas pessoas que nos governam.

Todo esse propósito é nobre, e necessita de colaboração das pessoas que estão fartas de tanta corrupção e mentira entre nós.

Veja, pesquise por si mesmo, busque a informação.

Sou apenas um cidadão comum, mas que sei o valor da minha voz e do meu voto, e quero mostrar que todos são iguais.

Junte-se a nós para lutar contra a corrupção e exigir a verdadeira democracia.

Não sou da Anonymous, nem da Lulzsec, mas dedico os créditos a eles!

We Are Anonymous
We Are Legion
We Do Not Forgive
We Do Not Forget
Expect Us
Do not expect more. We arrived” (fonte: youranonnews)

Deixe um comentário

Arquivado em Comentário

Anonymous manda mensagem para os Brasileiros – #AcordaBrasil

Deixe um comentário

Arquivado em Vídeo

Carta aberta de Anonymous para a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte)

“Em uma recente publicação, vocês destacaram o Anonymous como ameaça ao ‘governo e ao povo’. Vocês também alegaram que sigilo é ‘um mal necessário’ e que transparência nem sempre é o caminho certo a seguir.

O Anonymous gostaria de lembrá-los que o governo e o povo são, ao contrário do que dizem os supostos fundamentos da ‘democracia’, entidades distintas com objetivos e desejos conflitantes, às vezes. A posição do Anonymous é a de que, quando há um conflito de interesses entre o governo e as pessoas, é a vontade do povo que deve prevalecer. A única ameaça que a transparência oferece aos governos é a ameaça da capacidade de os governos agirem de uma forma que as pessoas discordariam, sem ter que arcar com as consequências democráticas e a responsabilização por tal comportamento.

Seu próprio relatório cita um perfeito exemplo disso, o ataque do Anonymous à HBGary (empresa de tecnologia ligada ao governo norte-americano). Se a HBGary estava agindo em nome da segurança ou do ganho militar é irrelevante – suas ações foram ilegais e moralmente repreensíveis. O Anonymous não aceita que o governo e/ou os militares tenham o direito de estar acima da lei e de usar o falso clichê da ‘segurança nacional’ para justificar atividades ilegais e enganosas. Se o governo deve quebrar as leis, ele deve também estar disposto a aceitar as consequências democráticas disso nas urnas. Nós não aceitamos o atual status quo em que um governo pode contar uma história para o povo e outra em particular. Desonestidade e sigilo comprometem completamente o conceito de auto governo. Como as pessoas podem julgar em quem votar se elas não estiverem completamente conscientes de quais políticas os políticos estão realmente seguindo?

Quando um governo é eleito, ele se diz ‘representante’ da nação que governa. Isso significa, essencialmente, que as ações de um governo não são as ações das pessoas do governo, mas que são ações tomadas em nome de cada cidadão daquele país. É inaceitável uma situação em que as pessoas estão, em muitos casos, totalmente não cientes do que está sendo dito e feito em seu nome – por trás de portas fechadas.

Anonymous e Wikileaks são entidades distintas. As ações do Anonymous não tiveram ajuda nem foram requisitadas pelo WikiLeaks. No entanto, Anonymous e WikiLeaks compartilham um atributo comum: eles não são uma ameaça a organização alguma – a menos que tal organização esteja fazendo alguma coisa errada e tentando fugir dela.

Nós não desejamos ameaçar o jeito de viver de ninguém. Nós não desejamos ditar nada a ninguém. Nós não desejamos aterrorizar qualquer nação.

Nós apenas queremos tirar o poder investido e dá-lo de volta ao povo – que, em uma democracia, nunca deveria ter perdido isso, em primeiro lugar.

O governo faz a lei. Isso não dá a eles o direito de violá-las. Se o governo não estava fazendo nada clandestinamente ou ilegal, não haveria nada ‘embaraçoso’ sobre as revelações do WikiLeaks, nem deveria haver um escândalo vindo da HBGary. Os escândalos resultantes não foram um resultado das revelações do Anonymous ou do WikiLeaks, eles foram um resultado do conteúdo dessas revelações. E a responsabilidade pelo conteúdo deve recair somente na porta dos políticos que, como qualquer entidade corrupta, ingenuinamente acreditam que estão acima da lei e que não seriam pegos.

Muitos comentários do governo e das empresas estão sendo dedicados a “como eles podem evitar tais vazamentos no futuro”. Tais recomendações vão desde melhorar a segurança, até baixar os níveis de autorização de acesso a informações; desde de penas mais duras para os denunciantes, até a censura à imprensa.

Nossa mensagem é simples: não mintam para o povo e vocês não terão que se preocupar sobre suas mentiras serem expostas. Não façam acordos corruptos que vocês não terão que se preocupar sobre sua corrupção sendo desnudada. Não violem as regras e vocês não terão que se preocupar com os apuros que enfrentarão por causa disso.

Não tentem consertar suas duas caras escondendo uma delas. Em vez disso, tentem ter só um rosto – um honesto, aberto e democrático.

Vocês sabem que vocês não nos temem porque somos uma ameaça para a sociedade. Vocês nos temem porque nós somos uma ameaça à hierarquia estabelecida. O Anonymous vem provando nos últimos que uma hierarquia não é necessária para se atingir o progresso – talvez o que vocês realmente temam em nós seja a percepção de sua própria irrelevância em uma era em que a dependência em vocês foi superada. Seu verdadeiro terror não está em um coletivo de ativistas, mas no fato de que vocês e tudo aquilo que vocês defendem, pelas mudanças e pelo avanço da tecnologia, são, agora, necessidades excedentes.

Finalmente, não cometam o erro de desafiar o Anonymous. Não cometam o erro de acreditar que vocês podem cortar a cabeça de uma cobra decapitada. Se você corta uma cabeça da Hidra, dez outras cabeças irão crescer em seu lugar. Se você cortar um Anon, dez outros irão se juntar a nós por pura raiva de vocês atropelarem que se coloca contra vocês.

Sua única chance de enfrentar o movimento que une todos nós é aceitá-lo. Esse não é mais o seu mundo. É nosso mundo – o mundo do povo.

Somos o Anonymous.

Somos uma legião.

Não perdoamos.

Não esquecemos.

Esperem por nós…”

Mais sobre o Anonymous aqui: http://youranonnews.tumblr.com/

Deixe um comentário

Arquivado em Notícia

Guerra virtual – Caso #HBGary

A Guerra Virtual segue acontecendo, o mais recente caso foi o da empresa de segurança virtual HBGary Federal:

Aaron Barr

“O grupo hacker Anonymous, conhecido pelos ataques de negação de serviço (DDoS) pró-WikiLeaks, invadiram as contas e sites da empresa HBGary, empresa de segurança digital que colabora com o FBI.

De acordo com o grupo, o motivo dos ataques ocorreram quando Aaron Barr, CEO da HBGary, informou que havia se infiltrado no grupo hacker e que teria descoberto as verdadeiras identidades dos líderes do Anonymous.

Os hackers como resposta invadiram os sites da HBGary, acessaram diversas contas de e-mail dos funcionários e agora controlam a conta oficial de Barr no Twitter, onde postam mensagens ofensivas e até dados pessoais do executivo, como endereço e número de documentos.

Mais de 60 mil mensagens de e-mail foram roubadas e colocadas à disposição para quem as quisesse baixar em sites de compartilhamento de arquivos como o The Pirate Bay.

A HBGary trabalhava em conjunto com o FBI para identificar os culpados pelos ataques promovidos pelos Anonymous contra empresas como PayPal, MasterCard e Visa, que na ocasião se posicionaram contra o WikiLeaks.

Segundo a empresa de segurança Sophos, desta vez, porém, o grupo não utilizou a tática comum de ataques DDoS e podem enfrentar sérios problemas por terem roubado dados privados.” (Fonte http://www.oriobranco.net/)

As empresas Palantir Technologies, HBGaryFederal, and Berico Technologies criaram este Dossiê: http://wikileaks.ch/IMG/pdf/WikiLeaks_Response_v6.pdf

Nele, entre outras coisas, aparecem informações de como ataca e enfraquecer o Wikileaks, dentre as estratégias estão:

“• A alimentação de combustível entre os grupos rivais. Desinformação. Crie mensagens em torno de ações para sabotar ou desacreditar a organização adversária. Enviar documentos falsos e, em seguida, chamar o erro.
• Criar preocupação com a segurança da infra-estrutura. Criar exposição de histórias. Se acreditarem que o processo não é seguro, eles estão acabados.
• Os ataques cibernéticos contra a infra-estrutura para obter dados sobre o documento requisitantes. Isso mata o projeto. Uma vez que os servidores estão em Suécia e França colocando uma equipe para obter o acesso é mais direto.
• Campanha de mídia para empurrar a natureza radical e irresponsável das atividades do wikileaks. Pressão sustentada. Não faz nada para os fanáticos, mas cria preocupação e dúvida entre os moderados.
• Procurar por vazamentos. Use a mídia social para identificar o perfil e comportamento controverso dos funcionários.”

Mas parece que o plano não deu certo, o gerente da empresa de segurança HBGary, Aaron Barr, dizia estar infiltrado no Grupo Anonymous e saber a identidade de alguns dos lideres do grupo. Mas antes que ele conseguisse concluir sua pesquisa e entregar para os federais, o infiltrado foi desmascarado. Alguns Hackers do grupo Anonymous descobriram a farsa e contra-atacaram. Eles roubaram milhares de E-mail, sabotaram a página oficial de sua empresa e sabotaram seu Twitter @Aaronbarr:

Parece que desta vez o plano de sabotagem não deu certo. Esta é uma estratégia muito comum quando pessoas atacam o governo ou pessoas muito poderosas, espalhar boatos para descreditar o acusante. Observem, isto acontece a todo momento, como está acontecendo neste momento com Julian Assange, sendo acusado de crimes sexuais, sem relação nenhuma com o que ele fez para chamar a atenção do Governo Americano, que foi divulgar os documentos secretos. Desta forma estão tentando, pelo menos, manchar a imagem da figura mais importante do Wikileaks.

Mas quando tentaram atacar o Anonymous eles não tiveram tanto sucesso, como o próprio dossiê contra o Wikileaks diz, “eles não são uma pessoa nem uma organização”, são um grupo de internautas unidos por uma causa maior.

Vai ser muito mais difícil enfraquecer este grupo. A guerra virtual está apenas começando, esta foi só mais uma batalha.

1 comentário

Arquivado em Mobilização

Revolução digital – Não existem segredos no mundo digital.

O sub-título é provocativo, não acredito que não hajam mais segredos no mundo digital, os segredos sempre estiveram aí e sempre vão estar, mas estamos passando por uma revolução nesta era digital, e eu gostaria de chamar atenção para alguns aspectos.

Cada vez mais nossas vidas são expostas pela tecnologia, hoje temos uma série de redes social em que é possível saber sobre a vida e intimidade de outras pessoas, assim como tornar público a sua vida pessoal. Ao chegar em um emprego novo, uma pessoa que você nunca viu na vida lhe pergunta: Então você gosta de gatos? – Mas como assim? Eu não te conheço, como você sabe isso? – As pessoas se esquecem que se você colocou esta informação na internet ela está ai disponível para que qualquer um veja, e facilmente pode ser encontrada em alguma rede social ou até mesmo no google. Google vem inclusive sendo usado como um verbo nos EUA, tipo “google him” “Don’t google me”, isto é, vai lá e busca o nome dele no google para ver que cobras e lagartos podem aparecer. Então se você tem segredos que não gostaria que as outras pessoas descobrissem, é melhor manter eles bem longe da internet, por que, uma vez que seu segredo caia na rede, não tem mais volta. Da mesma forma que você cidadão comum não gostaria de ter seus segredos divulgados, imagine os segredos de estado de uma grande nação?

Antes da era da informática a comunicação era muito mas difícil. Documentos em papel eram muito bem guardados e vigiados, somente um espião treinado conseguiria invadir sorrateiramente um arquivo para roubar documentos confidenciais. E esta guerra de informação normalmente era travada entra nações em conflito, nunca chegavam aos olhos e ouvidos do cidadão, a não ser, é claro, que o governo tivesse um bom motivo para divulgar algo, como induzir a população para um lado ou outro. Após o fim de uma guerra, o país derrotado normalmente queimaria seus arquivos para que o inimigo não pudesse tomar conhecimento, e quase sempre os crimes de guerra virariam cinzas, literalmente.

Mas então o exército americano criou a internet, eles desejavam que a informação ficasse descentralizada, caso houvesse um ataque a um centro de informação, não estaria tudo perdido, eles poderiam continuar se comunicando pois os outros computadores também poderiam servir como detentores e emissores de informação — me pergunto do que é que os americanos reclamam agora, se foram eles que criaram este sistema genial. É claro que os mesmos segredos de estado, que os governos escondiam antigamente, continuam sendo escondidos hoje em dia. A diferença é que hoje, se por alguma eventualidade, eles caírem na internet, não tem mais volta, eles serão espalhados pelo mundo e nunca mais vão ser totalmente apagados.

Assisti esses dias um vídeo de uma declaração no departamento de segurança dos EUA, naquele púlpito com o brasão da águia e a bandeira dos EUA ao fundo, sabe? Pois bem, o sujeito dizia: exigimos que o WikiLeaks devolva imediatamente todos os arquivos que foram divulgados. Oi? Devolver? Como se isso fosse adiantar alguma coisa. Mesmo que o site retirasse as informações do ar e devolvesse todos os arquivos para o governo, várias pessoas já acessaram, vários já salvaram em seus computadores, vários já compilaram e colocaram em links para download, ou seja, o site pode sair do ar, mas a informação não vai se apagar nunca, sempre vai haver uma pessoa disposta a publicar novamente os arquivos.

Outro aspecto importante é que hoje em dia qualquer um pode ser emissor de informação. Todos estão conectados, todos tem celulares com câmeras, etc… Exceto alguns países da África e Oriente Médio, a maioria da população mundial já se encontra na era digital, e pode gerar seu conteúdo e mandar sua mensagem para o Mundo. Eu acredito fielmente que esta revolução veio para o bem da humanidade, explico: torna-se cada vez mais difícil cometer crimes de guerra sem que haja uma testemunha, e se esta testemunha tiver um celular na mão, no outro dia as imagens estarão circulando pela internet. A opinião pública internacional deve atuar no sentido da paz, e desta forma pressionar os agente de guerra no sentido de estabelecer a paz. Baseado nisto, eu acredito que hoje seja praticamente impossível que se trave uma nova guerra na Europa, por exemplo. Sim, ainda existem países que estão desconectados desta revolução digital, justamente nestes países que acontecem a maioria dos conflitos atuais. Mesmo assim, as poucas imagens vazadas destas guerras (como o caso do vídeo Collateral Murder divulgado pelo Wikileaks) já geram uma comoção internacional quase generalizada. Mas em breve estes países também estarão conectados, aí vai ficar cada vez mais difícil invadir um país, matar vários civis, sem que os olhos do mundo estejam observando.

Então observemos os atentados de 11 de Setembro nos EUA. Se estes atentados tivesses ocorrido nos anos 50/60, teria sido o crime perfeito, deixaria muito poucos rastros e pistas do ocorrido. Nós, aqui na América do Sul, leríamos os jornais, veríamos a repercussão na televisão, e NUNCA teríamos acesso a uma versão diferente da oficial, o fluxo de informação era muito mais difícil naquela época. Mas hoje é diferente, vivemos na era do vídeo, do YouTube, qualquer um pode ver, re-ver, dar pause, voltar, assistir novamente e tirar suas próprias conclusões. Eu já vi diversas vezes, já assisti inúmeras teorias e versões, uma coisa eu posso dizer, é MUITO difícil de engolir a versão Oficial com tantas perguntas que o governo se recusa a responder. Nem vou entrar no assunto, a informação está aí disponível na internet para quem tiver interesse em ver. Eu garanto que a teoria de que o Governo Americano teve participação nos atentados é bastante plausível e bem fundamentada.

Eu utilizei o exemplo dos atentados para destacar o fato de que hoje o fluxo de informação não segue apenas o caminho linear das grande redes de comunicação, todos podemos produzir conteúdo, dar a nossa opinião, investigar, denunciar, gravar e jogar na internet para que o mundo inteiro veja. Estamos passando por uma revolução digital, a revolução da informação. Minha esperança é a de que ela veio para o bem da humanidade.

“And now it’s Big Brother who’s being watched … by us!” (E agora é o Big Broder que está sendo observado… por nós) – Michael Moore

Estamos de olho!

Atualização: A revolução digital que eu comentei já começa a aparecer e dar seus frutos, leia esta matéria do Terra com o seguinte título:

Ativismo na internet acelerou queda de ditador na Tunísia.

Deixe um comentário

Arquivado em Comentário