Ação contra o Senado Federal

Então senhores… Quem pensou, ou algum dia imaginou que não pudesse ver isso ocorrer, ledo engano… Aconteceu e está acontecendo, lá com os nossos irmãos dos Pampas – RS.

Se tomarmos como exemplo esta ação popular, que está sendo movimentada por lá, talvez consigamos rebater toda essa balbúrdia, a que assistimos, todos os dias, nos jornais.

DOIS ADVOGADOS GAÚCHOS CONTRA DOIS SENADORES E 3.883 SERVIDORES DO SENADO FEDERAL


Os advogados gaúchos Irani Mariani e Marco Pollo Giordani ajuizaram, na Justiça Federal, uma ação que pretende discutir as horas extras pagas e não trabalhadas, no Senado, e outras irregularidades que estão sendo cometidas naquela Casa.
A ação tramita na 5a. Vara da Justiça Federal de Porto Alegre e tem como réus a União, os senadores Garibaldi Alves e Efraim Morais e “todos os 3.883 funcionários do Senado Federal, cuja nominata, para serem citados, posteriormente, deverá ser fornecida pelo atual presidente do Senado Federal, senador José Sarney”.
O ponto nuclear da ação é que durante o recesso de janeiro de 2009, em que nenhum senador esteve em Brasília, 3,8 mil servidores do Senado, sem exceção, receberam, juntos, R$ 6,2 milhões em horas extras não trabalhadas – segundo a petição inicial..
Os senadores Garibaldi e Efraim são, respectivamente, o ex-presidente e o ex-secretário da Mesa do Senado. Foram eles que autorizaram o pagamento das horas extras por serviços não prestados.
A ação popular também busca “a revisão mensal do valor que cada senador está custando: R$ 16.500,00 (13º, 14º e 15º salários); mais R$ 15.000,00 (verba de gabinete isenta de impostos); mais R$ 3.800,00 de auxílio moradia; mais R$ 8.500,00 de cotas para materiais gráficos; mais R$ 500,00 para telefonia fixa residencial, mais onze assessores parlamentares (ASPONES) com salários a partir de R$ 6.800,00; mais 25 litros/DIA de combustível, com carro e motorista; mais cota de cinco a sete passagens aéreas, ida e volta, para visitar a ‘base eleitoral’; mais restituição integral de despesas médicas para si e todos os seus dependentes, sem limite de valor; mais cota de R$ 25.000,00 ao ano para tratamentos odontológicos e psicológicos” .
Esse conjunto de gastos está – segundo os advogados Mariani e Giordani – “impondo ao erário uma despesa anual em todo o Senado, de:
– R$ 406.400.000, 00 (quatrocentos e seis milhões e quatrocentos mil reais); ou
– R$ 5.017.280,00 para cada senador.
Tais abusos acarretam uma despesa paga pelo suado dinheiro do contribuinte em média de:
R$ 418.000,00 por mês, como custo de cada senador da República”.
Mariani disse ao ‘Espaço Vital’ que, “como a ação popular também tem motivação pedagógica, estamos trabalhando na divulgação do inteiro teor da petição inicial, para que a população saiba que existem meios legais para se combater a corrupção”.

Abaixo, resultado da pesquisa na internet pelo site  http://www.jfrs.jus.br/,  em 16.01.2010:

Consulta Processual Unificada – Resultado da Pesquisa

AÇÃO POPULAR Nº 2009.71..00.009197-9 (RS)
Data de autuação: 31/03/2009
Juiz: Vânia Hack de Almeida
Órgão Julgador: JUÍZO FED. DA 05A VF DE PORTO ALEGRE
Órgão Atual: ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO
Localizador: GR
Situação: MOVIMENTO
Valor da causa: R$ 6.200.000,00
Assuntos:
1. Adicional de horas extras
2. Horas Extras

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Notícia

3 Respostas para “Ação contra o Senado Federal

  1. VALFREDO EDUARDO PURIM

    Até que enfim, que ótima iniciativa! Temos que apoiá-la, sem dúvida. Gostaria de ter uma listagem dos corruptos cá do Pará, consta que são muitos, para que possamos divulgar e assim identificar os gatunos que se colocam como “representantes do povo” tungando o nossos impostos que já são um absurdo.

  2. Garibaldi Santana

    Gostaria que, por favor, disponibilizasse todo teor da inicial a fim de que possamos fazer o mesmo aqui em Salvador e demais colegas da Federação possaM tomar o incentivo e faça o mesmo.
    Outro caso:
    Aqui na Bahia o n. de juízes e funcionário é MUIIIIITO pouco. Todos só fazem reclamar mas ninguém, nem OAB nem o próprio Judiciário entraram com uma ação contra o Governo da Bahia, exigindo que cumpra o dispositivo constitucional que determina o n. de juizes e serventuários proporcional ao n. de habitantes. Emenda Constitucional n. 45, art. 93, XIII, determinou:. “O número de juízes na unidade jurisdicional será proporcional à efetiva demanda judicial e à respectiva população”.
    Ficarei altamente grato
    Garibaldi
    Adv. OAB-BA 9746

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s